Últimos assuntos
» Seja Reclamado Aqui
Qua Dez 24, 2014 6:08 pm por Daughter Of Night

» Pego - Namoro - Caso - Passo - Morre Deabo -q
Qua Out 02, 2013 8:09 pm por Rafael Blaze

» Oráculo de Delfos
Seg Set 30, 2013 7:32 pm por Rafael Blaze

» Treino Espada e Escudo
Seg Set 30, 2013 5:47 pm por Rafael Blaze

»  Treino de Arco e Flecha
Seg Set 30, 2013 5:47 pm por Rafael Blaze

» Dúvidas Sobre o jogo
Sex Jul 13, 2012 5:23 am por Nalbert Santana

» Teste para ser filho de Hades
Qui Jul 12, 2012 11:55 pm por Nalbert Santana

» Teste para ser filho de Poseidon
Sex Mar 30, 2012 5:38 am por B.Nascimento

» apresentação Rafael Alves
Sex Mar 23, 2012 8:58 pm por Rafael Alves

Banner
Fórum
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada


Diário de uma semi-deusa

Ir em baixo

Diário de uma semi-deusa

Mensagem por Lara Helen Kevert em Seg Mar 21, 2011 2:02 pm


Ω Capítulo Um Ω
PORQUE EU...?




Shreveport ,Louisiana.
Foi lá que tudo começou, lá onde eu nasci e lá onde eu me criei, eu vivia nas ruas, frequentava escolas publicas...ate me jogarem num orfanato.
Shreveport não era um bom lugar de se morar, talvez visitando uma vez apenas seria um lugar agradável.
Era setembro, eu tocava a minha guitarra "blue" a unica coisa de valor que eu tinha, tocava alguns acordes desajeitados e até ousava cantar alguns refrões, cantava e tocava baixo, não queria chamar a atenção.-Lara, você quem está tocando? - Uma voz perguntou, estava atrás da porta, não respondi. -Lara, posso entrar? - Continuei em silêncio, eu realmente não conhecia aquela voz.
A porta se moveu e uma mulher de meia idade entrou, ela vestia um uniforme do orfanato e eu pensei que era uma funcionaria ou algo assim,continuei tocando com minha guitarra
- Garota, você é tão bonita e tem apenas 12 anos, por que fica tocandoessa guitarra e fica sé isolando o tempo todo? - A mulher tinha um tom calmo.- Porque eu quero e a vida e minha, agora vai embora antes que eu arranque a sua cabeça do pescoço. - Eu disse estridentes.Ela se aproximou com um sorriso, não sei se era um sorriso para me confortar ou um sorriso maldoso, apenas um sorriso, por um momento eu fui tocada pelo sorriso, mas depois tudo voltou ao normal. Ela colocou a mão no meu pescoço e eu me encolhi na cama, e então suas unhas viraram garras e elas estavam prestes a rasgar o meu pescoço. - Soocco.... So Arrrrrgh - Tentei pedir socorro mas ela apertava mais forte.- Não gaste saliva querida, eu vou acabar em um instante. - Ele disse com o sorriso. Não tive escolha, peguei a minha guitarra e golpeie as suas costas, ela urrou de dor e me soltou, corri. - AH VOCÊ PAGARÁ CARO POR ISSO - Ela gritou, mas eu já estava longe.
Eu corri até minhas pernas não agüentarem mais, e me sentei em um campo de trigo, me deitei e encolhi na relva, fazia frio, eu rezei para que o dono da propriedade não me expulsasse. Sibilei algumas canções, canções tristes que eu havia composto enquanto vivia no orfanato, aquilo de certa forma conseguiu me deixar melhor, e do mesmo modo um pouco pior. As lágrimas insistentes caíram então eu me entreguei, comecei a chorar, "Por que eu?" pensava. Fechei os olhos e algumas lágrimas continuaram a cair, mas então rapidamente peguei no sono.
Eu tive um sonho, sonhava que com um lugar de uma deslumbrante beleza , havia uma mulher sentada em um trono e do seu lado um grande homem sentado em um trono igualmente grande.
- Não se preocupe, tudo está sendo como tinha que ser... - O homem dirigia a palavra a mim, eu queria perguntar sobre o que ele falava, mas era tarde demais eu havia acordado.
Levantei as minhas costas e me encostei em uma arvore, olhei para o céu... Opa, campos de trigo não tinha arvores, me levantei e me vi em um lugar desconhecido, a estrada ficava a uns 150 metros dali, porem dava pra ouvir o barulho de motor e buzinas, tive certeza que não se tratava de Shreveport, ou até mesmo de Louisiana , estava em outro lugar, não me pergunte como, mas estava em Long Island. Pensei em pegar um ônibus para casa, mas lembrei que não tinha dinheiro, minha barriga roncou, passei o braço sobre ela, fazia 16 horas que eu não comia nada. Ok, eu estava de estômago vazio. sem dinheiro, e em um lugar desconhecido, não podia ficar pior, mas ficou.
Eu olhei para o lado e vi uma mulher, olhei mais de perto e vi que a tal mulher era a mesma que tentou me matar, agora ela tinha corpo de mulher e perna de cobras, eu fiquei com medo, ela vinha diretamente para mim em uma rapidez assustadora, não tive opção a não ser correr.
Corri da mulher por vários quilômetros, continuamos a perseguição de gato e rato até eu chegar a perto de um pinheiro, ela hesitou e eu soube disso, eu estava tão cansado, não tinha comido nada e passara mais de duas horas correndo como uma condenada. Ela avançou e eu cai para trás, cai atrás do limite do pinheiro e lá um homem de meia idade com corpo de cavalo correu até mim e me segurou. Ele sorriu calmamente, embora seus olhos não mostravam a mesma calma.
- Como você chegou aqui minha querida? - O homem-cavalo perguntou.
- Correndo... Correndo por minha vida –respondi
-Pois então lute por ela!-ele entrega-me uma espada e me ‘medica’ com uma bebida,meu corpo começa a formigar e der repente me sinto totalmente melhor.Quando virei para agradecer ao “homem cavalo”ela havia sumido...no mesmo momento vem em minha cabeça*Um teste,isso é um teste*
Eu sai do limite do pinheiro e disse -EI COROA...VC MECHEU COM A GAROTA ERRADA,SUA LAGARTICHA!
Isso a fez ficar ainda mais alterada e brava comigo-Não deveria falar assim comigo sua meio-sangue tola!
Ela ergue uma rede e lança em minha direção... Não me pergunte, mais com apenas um golpe de minha espada a rede se rompe.-Você acha que isso era minha única arma?!Eu ainda não acabei!No mesmo momento ela pega seu bracelete e o transforma em uma lança elétrica-Agora ferro!digo.
Ela investiu contra mim, mais eu consigo desviar com um mergulho no chão-Agora é minha vês!!
Dou um salto e golpeio sua barriga...ela urra de dor,mais me da um chute e eu bato numa arvore-Ai isso doeu!
Ela começa a vir em minha direção...eu fico fingindo que estava imóvel e quando ela esta prestes a cravar sua lança em meu peito eu desvio,sendo assim a lança fica presa na arvore e era minha chance de a atacar,não penso duas vezes e dou um mortal para trás dela e a golpeio...a espada a atravessa e ates que eu pudesse gritar -uhuuuuu!!
Ela vira pó. De relance eu vejo um homem de mei-idade, vestido com um terno, e olhos azuis elétricos, quando olho de novo ele não estava mais La*essa luta me deixou atordoada,ja to vendo coisas* Vou andando para o limite do pinheiro mais quando vou entra algo me puxa -ta pensando que vai pra onde?Rapidamente vem em minha mente*Harpia*
-eu to querendo entra... ta vendo não?Eu tento a golpear com minha espada mais ela voa, mergulha rapidamente em mim e começa a mi arranhar,tentava-me defender usando os meus braços,procuro pela espada porem ela estava longe de meu alcance.Eu estava muito cansada após a luta contra a mulher cobra,estava a ponto de desistir...porem lembro que sempre carregava uma faca comigo...eu reúno forças,jogo a hapia para o lado,pego a faca em minha jaqueta e cravo em seu peito mais não surte muito efeito e ela me da um soco no qual eu bato numa arvore...porem era na arvore que estava presa a lança da mulher cobra...então eu fico tentando tira-la.A harpia vem em minha direção e tenta cravar nuas unhas em meu peito mais na mesma hora eu consigo tira a lança e a cravo no peito dela na qual fira cinzas -aff cansei!Nisso eu desmaio .
avatar
Lara Helen Kevert
Conselheiros/Mestres do Chalé

Mensagens : 27
Data de inscrição : 10/12/2010
Localização : pq vai assaltar?ç-ç

Ficha Meio-Sangue
HP:
120/120  (120/120)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Diário de uma semi-deusa

Mensagem por Lara Helen Kevert em Sex Abr 08, 2011 3:41 pm

Ω Capítulo dois Ω...?
Meio o que?






Ao acordar estava com uma dor de cabeça muito forte, estava um pouco fraca, zonza e cheia de curativos pelo corpo. Logo vem uma garota com uma chicara de chá na mão
-você esta bem?Ela me pergunta com um sorriso
-bom... Tirando que eu quase fui morta, minha vida virou de cabeça para baixo, estou entre estranhos e não faço a menor idéia onde estou!Eu to ótima.
falo isso enquanto analisava friamente o local,eu estava sem sombra de duvidas numa enfermaria,onde tinha varias criaturas e pessoas (pela minha felicidade aparentemente humanas)em marcas com vários ferimentos
-bom acho que não se lembra muito de mim, eu estudei com vc na quarta serie... Lembra de mim?
-Ahh vc é a Pietra não é?
-isso mesmo –afirma ela
-vc pode me fazer o favor me dizer onde eu to? –pergunto confusa
- pra vc não ficar tão confusa eu vou te dizer... Você esta no acampamento meio-sangue!
E o único lugar seguro na face da terra para você e outros meio-sangues.
-Fala serio?!e meio o que?-falo com um tom irônico
-seriíssimo meio-sangue ou semideus, se preferir. Acho que não tenho que explicar a você o que seria um semideus não é?
-claro que não, sei bastantes coisas sobre mitologia ainda por cima grega!!Mais e ai eu vou ficar nessa marca ate quando?
-na realidade você já pode sai dela, só que antes tem que beber isso!
Ela me entrega um copo com uma bebida de cor azul na qual reluzia,eu tomo-a em mãos e bebo,sinto um calafrio percorrer meu corpo, em seguida uma leve queimação e percebo que todas as feridas que eu estava e a bendita dor de cabeça estavam sumindo
-e ai,ta melhor?
-to,mais que bebida milagrosa é essa?
Respondo
-era néctar dos deuses!
Ela me responde
-vamos o senhor D e Quíron estão Le aguardando na casa grande. Seus pertences então em baixo de sua marca eu vou te aguardar La fora.
*que pertences? Eu não tenho nada alem da espada que um centauro me deu e o bracelete que tinha pegado da mulher cobra*
Levanto-me e olho embaixo da marca. Fico boquiaberta a minha guitarra estava La inteirinha, junto à espada o bracelete e uma camiseta laranja de manga, na qual estava escrito:
Acampamento Meio-Sangue.
Vou uma sala onde guardavam os medicamentos, fecho a porta, rapidamente eu coloco a camiseta e saio ao encontro do garoto
-ei...Pietra, sé eu sou uma semideusa... vc também é...de quem vc é filha? -pergunto curiosa
-eu sou filha de Deméter - fala orgulhosa.
Andamos pelo acampamento todo ate chegarmos a uma imensa casa (que mais parecia uma mansão) na porta havia um centauro que logo reconheci que foi o que me dera a espada e um homem meio gordinho, cabelo cacheado e com uma camisa decorada com estampas de tigre. Estavam jogando cartas
-Senhor D,Quiron aqui esta ela...bom vou indo,tchau Lara –Pietra logo se retira
-olha minha jovem...Vejo que esta bem melhor em relasão ao dia de sua luta.
Falao centauro ao qual chavasse Quíron
-Sim,estou bem melhor.
Falo
-Não me surprende...Quíron é sua vez de explicar tudo a mais uma campista,eu vou dar uma olhada em minhas plantaçoes de morango.
Fala o homem de camisa com estampas de tigre,que pela logica seria o senhor D
-sim senhor D!Vamos minha querida,vou te ajudar a entender o que esta pasando pela sua vida.
Acompanho-o ate a arena de esgrima enquanto ele vai me explicando que os deuses da mitologia grega realmente existião e que eu era uma semi-deusa aparentemente muito poderosa por ter derrotado dois monstros e que teria que ficar no acampamento e treinar muito,para me tornar uma grande heroina.Bom pelo menos ele estava feliz,não que eu não estivesse animada,afinal era uma explicação bastante aceitavel para a minha vida insignificante.
-minha querida vc precisa de treinamento...ainda tem a espada que le dei?
-tenho sim!
-pois bem,quero que vc treine com os bonecos e amanha vc ira participar do capture a bandeira...ok?
-tudo bem!

ps:depois posto mais
avatar
Lara Helen Kevert
Conselheiros/Mestres do Chalé

Mensagens : 27
Data de inscrição : 10/12/2010
Localização : pq vai assaltar?ç-ç

Ficha Meio-Sangue
HP:
120/120  (120/120)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum